Comodismo da vida

Uma coisa que acho muito louco, é a maneira que a maioria das pessoas encara a própria vida. E o pior não aceitam discutir sobre tal “assunto”, afinal ela está completamente certa sobre isso.

Por exemplo, permanecer em um emprego, achando que isso é segurança, ou até mesmo se escondendo da realidade, deixando passar as oportunidades de grandes mudanças em sua vida. Será o medo que aterroriza?

E assim surge as perguntas: Será que vai dar certo? Será que devo fazer isso?

Quando resolvi sair de minha cidade fiz essas perguntas para minha mãe, a qual me respondeu: Cris você tem que pensar positivo e sempre procurar fazer a seguinte pergunta: O que é preciso fazer para que dê certo? E nesse momento achei ela meio fria comigo, mas hoje vejo que ela estava com a razão, pois depois disso vivo com essa pergunta na minha cabeça e procuro respostas para outras situações.

O pensar fora da caixinha, não quer dizer que eu não tenha medo das coisas que passo, ou que irei enfrentar, mas tenho muito mais força para passar por tudo isso.

Uma coisa que admiro em minha mãe é ela nunca ter determinado os destinos de seus filhos, mas ela os preparou para escolher seus caminhos. E entre erros e acertos, cada um seguiu sua vida. “ Criamos os filhos para o mundo” frase que minha mãe fala até hoje, por mais que ela queira os filhos embaixo das asas dela.

O desconforto do crescimento as vezes dói, mas afirmo que é muito melhor que o comodismo da imaturidade. Imagina se eu não tivesse tomado a decisão de sair de casa naquele momento, o tempo ia passar e junto com ele a minha impotência em aceitar e admitir que estive enganada por muito tempo, eu não ia conhecer o que teria de diferente nos lugares, eu não saberia o que é se perder e não saber voltar para casa, eu simplesmente ia viver num mundo de falsas ilusões, esperando as coisas acontecerem.

Em uma encruzilhada, não se pode pensar muito, a decisão tem que ser tomada imediatamente e o caminho tem que ser seguido. Só nós sabemos o que é melhor para nós e só o tempo dirá se tomamos a decisão correta. Enfrente desafios e saia da zona de conforto!

Se não puder voar, corra.
Se não puder correr, ande.
Se não puder andar, rasteje.
Mas continue em frente de qualquer jeito.

Martin Luther King

Cristiane Duarte

Cristiane Duarte, caiçara de Ubatuba, Bacharel em RP e Tecnóloga em RH, cursa MBA de Marketing Digital. Apaixonada por Mídias Sociais, vive antenada no mundo digital que vive em constante mudanças. Adora viajar, ir para a praia e comer aquele peixe cru em sua terra de barriga verde.

Um comentário aleatório