Espelho, espelho meu…

Fonte: Poesia Toda Prosa

Há alguns (poucos) anos, tenho aprendido sobre a importância de amar o meu corpo exatamente como ele é, ao invés de ficar numa busca frustrante de ter o corpo dito como perfeito que vemos nas revistas, na tv, nos sites de moda, e por aí vai.. não, não é fácil. Por mais que eu leia tanto sobre o assunto, trate disso na minha terapia, sempre estou me policiando, já que, na maioria das vezes, me olhar no espelho é criticar cada gordurinha e cada celulite que está ali, inocentemente. Me culpo, por defender tanto que o corpo perfeito é o que a gente tem… Que academia, é pra melhorar nossa saúde, física e mental. Que é tão maravilhoso e libertador acordar e se achar incrível, mesmo sem maquiagem, sem cabelo escovado, sem roupa previamente e cuidadosamente escolhida… é um exercício diário. Noções e sentimentos que infelizmente não aprendemos na infância, na escola.

Ao contrário, aprendemos que o certo é seguir o padrão que a sociedade impõe. Não estou dizendo que acho errado passar maquiagem , ir à academia por estética ou alisar o seu cabelo. Estou dizendo que tudo é ótimo, desde que seja, de fato, uma escolha. Afinal, posso ser como eu quiser, o que não posso, é deixar que me digam como deve ser meu corpo, ou como devo me vestir. Isso inclui mãe, pai, namoradx (sai, que é fria!) e até mesmo aquela sua/nossa amiga que solta, inocentemente, comentários do tipo “amiga, vamo passar um make nessa cara”, ou querendo te explicar o que você precisa ser pra que algum homem (ou mulher, ou os dois, ou todas as possibilidades =D ) te olhe (como se isso fosse importante, mas isso é assunto pra outro dia) . O meu corpo só pertence a mim. E eu decido como ele deve ser ou estar.

“Mas miga, sua louca, você acabou de dizer que se olha no espelho e se critica”. Sim! Me critico. E você pode estar fazendo a mesma coisa, caçando “defeitos” no seu corpo.. mas mais importante do que cair nessa armadilha, é ter noção que ela existe, e ir aos pouquinhos, todos os dias, se policiando, e se percebendo (por você e não por alguém ), com todas as gorduras , celulites, estrias que possam existir. Se amando por quem você é, e não por quem dizem que você deveria ser.

Fonte: Etsy

Thalita Santos

Thalita Santos é especialista em Mídia, Informação e Cultura pela ECA/USP.
Publicitária, aspirante a atriz e produtora cultural. Apaixonada por artes e por qualquer novo aprendizado que possa surgir.

Uma resposta para “Espelho, espelho meu…”

Um comentário aleatório