Você é indiscreto?

O mundo está indiscreto! Credo, quanta gente que não sabe guardar a própria opinião para si ou que não tem aquele filtro básico entre o que o cérebro produz e o que a boca fala!

Do jeito que pensa, fala… Fonte: Google

E tenho ouvido e prestado atenção nas pessoas. Aliás, prestar atenção nas pessoas é um hábito que criei há muito tempo nas rodoviárias que frequentei. Por passar muita gente, lá se tornou um local ótimo para observar as pessoas, suas reações, seus hábitos, a forma de se relacionar com os estranhos, enfim, foi quase um estudo sociológico!

Nessas observações percebi que as vezes as pessoas emitem suas opiniões sem serem perguntadas. Se isso é ruim com desconhecido, imagina com aquela pessoa conhecida, sua amiga, familiar? Triplica a chatice dos comentários indesejados. E isso tem acontecido demais comigo!

Já tem quase um ano que estou passando por um desajuste hormonal, o que me causou muitas espinhas, principalmente nas costas e rosto. Eu conheço a razão delas estarem lá, me incomodam bastante, estão avermelhadas, algumas ficam grandes… Eu sei que elas existem! Mas ultimamente 10 entre 10 pessoas que me conhecem há bastante tempo (eu não tinha espinhas nem quando adolescente) me perguntam: “e essas espinhas aí?”. Como se fosse algo legal, do tipo: “e esse corte novo de cabelo aí?”.

Acho tão desnecessário esse tipo de pergunta! Além de desnecessário, é indiscreto. É a mesma coisa que perguntar “e esse peso novo que você adquiriu?”, alguns chegam ao cúmulo de “nossa, engordou hein? Tem que se cuidar!”, como se o dono do corpo já não soubesse que isso aconteceu! É quase engraçado (se não fosse chato mesmo) as pessoas fazerem certas observações a respeito do nosso corpo, pele, cabelo. É como se a gente não tivesse consciência do próprio corpo!

As pessoas são estranhas! Pior de tudo é quando, acompanhada da perguntinha indiscreta, vem a “receita milagrosa da minha vó de 100 anos pra resolver esse seu problema”! Por acaso você perguntou para a pessoa se ela quer resolver a situação que você está observando? Se certificou de que esse “problema” é realmente um problema pra pessoa? Aliás, você perguntou se ela já não está resolvendo essa situação com uma “solução milagrosa da indústria farmacêutica”? Ainda mais, você perguntou se ela QUER a sua opinião?

Se o que for falar não acrescenta, faça como a Mafalda! Fonte: Google

E se por acaso você não se incomoda com pessoas indiscretas ou com perguntas sem noção, talvez seja você a pessoa sem noção que faz perguntas indiscretas! #FicaDica  ;)

Pra encerrar esse meu momento “Lula Molusco”, fique com essa imagem que vi no instagram de uma amiga. Quem sabe compartilhando esse texto, com essa imagem, as pessoas indiscretas ao seu redor se toquem e comecem a melhorar. Ou então, você mesmo perceba que é assim e busque melhorar! Vai por mim, as pessoas vão gostar mais de ter você por perto!

Um grande e discreto abraço e até a próxima!

Fernanda Maria

Relações Públicas de formação, confeiteira por amor e feliz por necessidade! Adoro escrever, observar as pessoas, ouvir boa música e olhar para o céu em busca de nuvens divertidas e respostas para vida!

Um comentário aleatório