O grande prazer nas pequenas coisas

Um pequeno grande prazer meu é contemplar minha flor favorita!! 

Faz um tempo já que ando pensando em como são boas as pequenas coisas da vida. Pra mim são essas que vou colocar aqui, mas pra você podem ser outras, e está tudo bem. O que vale é você analisar de dentro pra fora o que é considerado pequeno para as pessoas mas que para você é importante.

Meus pequenos grandes prazeres são: abraços apertados, observar crianças brincando, olhar a natureza, apreciar a beleza de uma flor (e o perfume!), ouvir os passarinhos cantando, dormir com barulho de chuva, sentir o cheiro do mar, ganhar e fazer carinho de/em quem se ama.

  São coisas pequenas, desvalorizadas na nossa correria sem fim, mas que fazem a maior falta. Quem me conhece de perto sabe que abraço em mim tem que ser apertado e demorado. Sim, eu sou aquela chata que te segura quando você quer fugir! rs Mas valorizo muito mais “perder tempo” num abraço demorado e apertado do que ganhar um abraço xoxo, fraco, com aparência de falta de vontade!

E aí vai a reflexão desse texto: quanto do seu tempo você tem dedicado a alimentar seus pequenos prazeres? Pode ser tomar aquele banho longo, com direito a dia de princesa/príncipe que você mesmo se dá, ou então aquele passeio no fim de tarde, aproveitando o horário de verão (seu lindo, te amo!); quanto tempo faz que você não faz um cafuné em quem você ama? (Um adendo que considero importante: minha sobrinha não consegue enxergar, mas meu carinho é dar umas mordidas delícia nela! Mas é amor e carinho, eu juro!)

    Eu percebi que, fugindo/deixando de lado esses pequenos prazeres da nossa vida, a gente vai morrendo aos poucos. E morrer aos poucos é pior que levar um tiro! :O Você vai sentindo falta de si mesmo, vai ficando triste, cansado, a criatividade se esgota, não acha graça em mais nada e tudo fica meio que mecânico e sem sentido. Ruim né!?

Meu convite nesse texto rápido de hoje é para você relembrar seus pequenos grandes prazeres e começar a desfrutar deles agora mesmo se possível. Eu, por exemplo, escrevi esse texto de frente para um pequeno bosque, com umas árvores bonitas, enquanto esperava por uma pessoa. Fiquei olhando o desenho do tronco, os diferentes tons de verde na paisagem e me inspirei para te escrever (mesmo porque, fazia tempo né? Desculpa! Promete que me perdoa?)

    Se reconecte com você mesmo, alimente seus pequenos prazeres, viva feliz e com mais qualidade. Vai por mim, isso faz diferença!

    Um super abraço, apertado, demorado e com vontade e até a próxima!!

Fernanda Maria

Relações Públicas de formação, confeiteira por amor e feliz por necessidade! Adoro escrever, observar as pessoas, ouvir boa música e olhar para o céu em busca de nuvens divertidas e respostas para vida!

Um comentário aleatório