Tive um pensamento machista

Eu tento, mas o machismo tá tão enraizado, desde sempre, que às vezes rola uns pensamentos que eu me surpreendo comigo mesma.

Desde criança fui ensinada a cuidar da minha própria sujeira. A limpar meu quarto, lavar meu tênis, deixar o uniforme limpo e pronto para o dia seguinte. E quando eu não me interessei por cozinhar, parecia muito errado não saber fazer o arroz, ou fritar o bife. “O que seu marido vai comer?”. “Desse jeito, não vai casar”.  Essas frases clássicas que nós, mulheres, por vezes, ainda ouvimos de um ou outro. Crescemos. Eu cresci. E aprendi a ver o mundo de outro jeito (ainda bem!). Um mundo onde isso não pode ser considerado normal. Onde nossas obrigações são tão importantes quanto à dos homens. Que a obrigação de cuidar da casa, fazer a comida, não é só minha, porque sou mulher. É das pessoas que habitam a casa, que sujam a roupa, a louça, que trabalham e tem suas ocupações diárias.

Mas depois de tantos anos de ensinamentos, frases clássicas, “exemplos”, viver o dia a dia, buscando o mínimo de igualdade, é um desafio. Não só de ser aceita, mas de nós, mulheres, nos policiarmos, pra perceber quando nós deixamos que o patriarcado tome conta do nosso dia a dia. Precisamos ficar alertas, atentas, pra perceber quando sentimos coisas que não nos pertence, e não precisam (nem podem) fazer parte da nossa vida. 💪 Sigamos, nos percebendo, sempre.

 

Thalita Santos

Thalita Santos é especialista em Mídia, Informação e Cultura pela ECA/USP. Publicitária, aspirante a atriz e produtora cultural. Apaixonada por artes e por qualquer novo aprendizado que possa surgir.

Um comentário aleatório