Input your search keywords and press "Enter".
9 de janeiro de 2019

Você tem medo de quê?

203 Views
Medo do Medo – Paralamas do Sucesso

Do que você tem medo? Aranha? Altura? Chuva? Água? Mar? Ficar sozinho pro resto da vida? Cachorro? Existem muitos tipos de medos, das coisas mais improváveis e até que parecem bobas, como por exemplo, meu medo de mariposas…. Esse texto surgiu de uma situação minha de medo, tendo que me livrar de uma aranha relativamente grande. Diferente da minha irmã que sofre de uma aracnofobia meio séria, eu tenho medo simplesmente por não saber se é uma venenosa, se não é, se é daquelas que pulam na gente, enfim. Aí comecei a viajar na ideia do medo e os dois lados dele: o que nos preserva e o que nos impede.

E é do medo que impede que eu quero começar falando! Estive pensando em todas as situações que o medo me impediu de fazer o eu queria: “voar” de tirolesa por medo de altura; fazer um intercâmbio por medo de dar errado; medo de cortar o cabelo e ficar ruim; medo de dizer o quanto gostava de alguém e não ser correspondida. Essas são algumas situações novas e antigas que o medo me impediu. Quando enfrentei o medo de cortar o cabelo, cortei e ficou lindo! Quando declarei meus sentimentos a uma pessoa, fui correspondida e tive a sensação mais libertadora da vida. Ainda não enfrentei os outros medos, mas serão enfrentados em algum momento!

Nessa, pensei que o medo nos impede de realizar grandes coisas, de conquistar coisas incríveis e de ser felizes.Pensa comigo: quantos momentos felizes você já perdeu por ter deixado o medo te dominar? E por momentos felizes entenda um relacionamento que você deixou passar por medo de se envolver; um emprego novo por medo da mudança; um hobbie novo por medo justamente da novidade. Qualquer coisa encaixa aqui!

Agora vamos ao outro lado do medo: o que preserva nossa integridade, principalmente física. O medo é um sentimento natural, instintivo e que nos mantém vivos e inteiros. O medo nos faz pensar duas vezes antes de passar por uma ponte meio capenga ou antes de fazer carinho num cachorro com cara de bravo. Mas se a gente para nesse primeiro instinto, a gente vira um saco de batatas! Agora, se a gente pensa de novo, olha a ponte se está segura ou não e vê se o cachorro é realmente bravo ou se é só falta de um carinho na barriga, os medos param de delimitar nossas ações!

Os medos emocionais também são naturais, principalmente se nós temos um trauma naquela mesma situação. Mas se a gente se conhece um pouquinho que seja, a gente já sabe que a primeira reação do nosso cérebro vai ser ter medo, então o que a gente tem a fazer é ver se vale a pena enfrentar ou realmente deixar pra lá! E se valer a pena enfrentar o medo, SE JOGA  e vai com medo mesmo! Meu primeiro texto desse site lindo e maravilhoso (paga eu David! Vai que cola!) foi exatamente sobre a coragem. Leia aqui e se inspire a se livrar dos seus medos e partir rumo à felicidade e auto realização. E entenda que medo pode ser de qualquer coisa (se eu tenho medo de mariposa…) e que superar esse medo vai te dar uma sensação de poder e liberdade! E se ainda não consegue enfrentar, aceite isso com carinho dentro de você, para que não seja um peso na sua vida.

Para 2019, eu fiz uma resolução de ano novo: não deixar pra depois o que posso falar e fazer agora, principalmente se o que eu quero vai me fazer feliz. Se for por medo então, o medo vai junto ou fica pra trás, porque eu não vou desistir tão fácil das coisas nem das pessoas! Faça suas resoluções para 2019 (ainda dá tempo!) e corra na frente dos seus medos e atrás dos seus sonhos, sejam eles um emprego novo, a pessoa amada, um novo empreendimento, um hobbie, adotar um bichinho, casar ou comprar uma bicicleta. Importante é parar de perder oportunidades por medo de qualquer coisa. Nisso, leia-se medo de ser rejeitada (o), de dar errado, de ser ruim, de doer, de dar trabalho, de ser cansativo. Vai com medo mesmo, mas vai!

Grande abraço e feliz ano novo! Que 2019 venha recheado de novidades e conquistas!

Share This Article

Fernanda Maria

Relações Públicas de formação, confeiteira por amor e feliz por necessidade! Adoro escrever, observar as pessoas, ouvir boa música e olhar para o céu em busca de nuvens divertidas e respostas para vida!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

No More Posts