Você conhece o seu tempo?

 

Nosso canal tem um quadro muito especial. Basicamente, convidamos amigos, fazemos um drink, e papeamos sobre algum assunto qualquer.

Nesse vídeo, falamos sobre o tempo. Sobre a pressão que sofremos não apenas pra ser de determinado modo, mas pra alcançar e conquistar coisas no tempo julgado como o “certo”.

Continue lendo “Você conhece o seu tempo?”

Eu acredito em você!

Pode ser que você não ouve essa frase há muito tempo ou então vive ouvindo! Eu digo isso constantemente para mim e tenho uma amiga que não me deixa esquecer nunca que ela acredita em mim! Isso dá uma foça interna inacreditável – faça o teste e me conta depois. (Aliás, eu tenho sugerido vários testes para os leitores mas ninguém diz se tá funcionando… #xatiada)

Saindo da psicóloga dia desses, depois de uma sessão que ela me esticou, me amassou, me colocou no lugar de novo e me mandou embora, saí pensando em quanta força a gente tem mas que nem sempre se lembra dela! Aí, no meio do caminho, lembrei das teias de aranha, do Homem Aranha (seu lindo!) e de como a força daquela teia sempre me intrigou. Sou da época do Homem Aranha do Tobey Maguire e, desde criança, sempre achei incrível o que aquele herói podia fazer e se aquilo era realmente possível, dentro das escalas das aranhas.

Lendo alguns estudos descobri que sim, se as teias fossem de uma espessura como de um lápis, elas poderiam parar um Boeing 747 em pleno vôo! Uau!! As aranhas são assustadoras, mas produzem teias de uma força insuperável! Aí, voltei no pensamento pós-terapia: se a gente tivesse, dentro da gente, a capacidade de resistir às dificuldades como as teias de aranha resistem a impactos, nós iríamos conseguir superar aquilo que nos derruba na vida.

Como num estalo, eu ouvi dentro de mim aquela voz que todos temos, e que alguns abafam, me dizendo que todos somos fortes, mas alguns não exercitam, outros deixam que forças externas diminuam sua força interior. E resolvi escrever esse texto pra você (e pra mim!), que talvez anda desacreditando na força interior que tem! Você é mais forte pra aguentar o tranco do que imagina!

As vezes a gente precisa de um motivacional assim como esse texto, pra se lembrar do quanto é forte, corajoso, resistente, capaz. A vida não anda fácil – eu sei porque estou vivendo ela! – mas sei também que a gente consegue superar nossos momentos difíceis, passar por aquela barra pesada (que não é aquela que é gostar de você… rs). Eu tenho feito isso constantemente: escrevo nos dias bons, coisas pra ler nos dias ruins. Coloco ali no papel tudo o que consegui realizar e que me deixou com aquela sensação de super poder! Depois, nos dias que está tudo dando errado, que parece que colocaram kriptonita no meu suco, eu paro, leio algumas páginas e a força volta a estar comigo! 

Hoje, eu queria dizer isso pra você que está lendo: eu acredito em você! Assim como as aranhas confiam tanto em suas teias fortes para adquirir o alimento do dia ou da semana, eu acredito na sua teia interna, capaz de segurar as pancadas, segurar dentro de si a sanidade mental nos dias ruins. Se você estiver passando por um dia bom, olhe em volta e veja alguém que precisa de um motivacional, olhe no fundo dos olhos dela e diga, com a boca cheia de confiança: eu acredito em você! Vai funcionar!

Um forte e resistente abraço, até semana que vem! ;)

Seja generoso…com você mesmo

Feeling Good – Nina Simons

Simples assim.
Você já parou pra pensar o quão culpado se sente diante alguma situação que não deu certo? Inclusive, o quanto se cobra por causa disso? Creio que todos nós já tivemos essa sensação.

Ocorre que você até pode se dar uns puxões de orelha, mas até pra autocrítica, é preciso ter um limite.

Continue lendo “Seja generoso…com você mesmo”

O tempo da dor é o tempo da transformação

Nos últimos anos as empresas têm se preocupado cada vez mais com a pessoa/ser humano que ela está contratando do que com o currículo dela, já reparou? Não, não vou dar dicas de “como se dar bem em uma entrevista de emprego”.
Me chamo Carol Rosa e esse é meu primeiro texto para o Conteúdo Aleatório. Chega mais =)

Creio que não teve melhor dia para postar esse texto, pois hoje damos início ao outono. Não é somente uma mudança de estação, mas uma mudança de ciclo. E é exatamente sobre isso que irei falar nesse texto.

Continue lendo “O tempo da dor é o tempo da transformação”

Como anda seu nível de MARAVILHOSIDADE?

Gente, ultimamente eu tenho sido bastante elogiada, principalmente por conta dos textos que publico aqui! Obrigada, de coração, a vocês que lançam a mim palavras de aprovação e carinho! Acontece que eu percebo que fico super sem graça em receber um elogio. A sorte é que todos me elogiam online e, com a proteção da tela do computador ou celular, ninguém vê minhas bochechas vermelhas… Sorte! (quem me conhece sabe que vermelha é apelido quando se trata da minha vergonha, mas abafa!) Continue lendo “Como anda seu nível de MARAVILHOSIDADE?”

Eu não sou planta, mas a vida me poda!

Talvez ninguém saiba, mas eu adoro rosas! Sou a louca das mudas quando vou numa casa onde tem uma roseira diferente das roseiras que tenho em casa. Não tenho a menor vergonha em pedir uma muda pro dono da casa, fico super feliz quando me dão uma rosa, independente da cor, pra eu poder plantar. E olha, até aquelas rosas que a gente ganha em buquês (o que faz tempo que não acontece….) se eu espero começar a soltar um brotinho – isso acontece quando a gente deixa bastante tempo na água, que é trocada com frequência; o broto sai como um nozinho no caule. Corte em diagonal um palmo acima desse nozinho e enterre num lugar que pegue bastante sol, em terra firme! #ficadica – e planto, geralmente a muda pega!

Uma das muitas rosas vermelhas do quintal!

Continue lendo “Eu não sou planta, mas a vida me poda!”

“Eu me amo, não posso mais viver sem mim!”

Essa música faz todo o sentido!

Nossa, que título egocêntrico, Fernanda! É nada! Se a gente não se ama incondicionalmente ninguém suporta viver perto da gente… É por isso que te convido a começar a se amar e a não viver mais sem você!

Eu tenho apreciado minha própria companhia e tenho aprendido a conviver comigo e a gostar disso!! Estava conversando com um amigo esses dias e ainda falávamos que gostar demais da própria companhia pode até ser ruim, porque a gente acaba ficando seletivo demais e não aceita mais qualquer companhia ao nosso lado! De outra forma, a gente consegue passar pelos momentos sozinhos, sem amigos ou familiares por perto com mais facilidade. Isso faz com que a nossa dependência de ter sempre alguém ao lado diminua até sumir! Mesmo porque depender de alguém nunca é bom, em todos os sentidos! Continue lendo ““Eu me amo, não posso mais viver sem mim!””

Não pensar também é maravilhoso

Fonte: Pinterest

Há algumas semanas, estou dando aula de teatro para jovens e crianças, na Associação Nossa Turma. É claro que em tão pouco tempo, já tenho aprendido um tanto sobre mim mesma e sobre tantas outras coisas com aqueles meninos e meninas.

Na última segunda-feira, depois de um exercício que eu considerava um desafio (ao menos pra mim, enquanto atriz), ao questioná-los sobre a dificuldade de fazê-lo, uma aluna, de maneira muito espontânea e natural, me disse: “não é difícil não professora, é só não pensar”. Sim, eu fiquei pensando muito sobre essa simples frase haha Sim, eu penso demais. Todo o tempo, e milhares de coisas ao mesmo tempo. E como o “pensar”, é capaz de nos travar. É claro que não dá pra sair enlouquecidamente fazendo tudo o que vem na cabeça, sem pensar em consequências, mas por diversas vezes, o “não pensar”, significa também respirar fundo e aceitar a situação, não como forma de comodismo, mas como forma de se permitir sentir prazer naquele momento.

Continue lendo “Não pensar também é maravilhoso”

Solta esse cabelo!

Terça-feira passada eu escrevi meu primeiro texto para o conteúdo aleatório e confesso que fiquei bastante insegura, sem saber como as pessoas iriam reagir, se conseguiria fazer um bom trabalho ou não, e tantas outras besteiras que só aparecem quando tentamos algo novo. Mas a sensação de escrever algo meu e deixa-lo publico para leitores perdidos por ai foi tão gratificante que eu quis de novo, e aqui estou!

Eu estava em busca de outra inspiração para escrever desde a semana passada, mas ela só foi aparecer agora, nos 45 do segundo tempo, então perdoem qualquer erro, porque não vai dar muito tempo de fazer uma edição legal. Só que esse texto, talvez, nãos seja tão reflexivo quanto outro, mas vamos lá!

Bem, para quem está antenado nas notícias e se liga em beleza provavelmente leu a matéria de ontem, segunda-feira (05/04), sobre o cabelo natural da Michelle Obama. Pois é, a ex-primeira dama dos EUA apareceu com os seus cachinhos a solta  e a internet, claro, ferveu de comentários.  A maioria positivo (ufa!)

E eu achei simplesmente INCRÍVEL! Incrível que ela teve a coragem de assumir o cachos e a quantidade de apoio que ela recebeu na internet. Porque, vamos combinar, hoje qualquer coisa é motivo para comentários pejorativos nas redes. E daqueles que parece serem escritos por pessoas do século retrasado de tão estúpidos que são.

Mas, fora meu pequeno desabafo e momento tiete da Michelle poderosa, não é um pouco surreal pensar que assumir seus cabelos seja motivo de tanta repercussão? Tudo bem, ela é uma figura pública de grande referência e, claro, que tudo o que ela fizer vai aparecer na rede. Mas, em uma época que falamos tanto de empoderamento feminino, de sermos quem quisermos ser, algo tão banal quanto nosso cabelo ainda parece ter uma importância gritante na nossa sociedade.

Eu nasci com cabelo cacheado e durante muito tempo, principalmente na minha adolescência, minha definição de cabelo bonito era cabelo liso. Afinal, as mulheres que eu achava bonita tinham cabelo liso. Então eu cresci fazendo escovas e alisamentos, para sentir um pouco dessa beleza que eu via jogada por aí. E confesso que até hoje não consegui me libertar.

E o que preocupa é como algo tão natural em uma mulher, pode afetar tanto a nossa autoestima. Porque para muitas, e eu estou incluída no pacote, a gente só vai se achar bonita se seguirmos esse padrão de beleza meio doido imposto por ai. E como isso é cruel! Como é cruel sanar nossa autoestima por causa dos nossos cabelos. De ficar horas no salão para se achar bonita, porque no fundo ainda temos aquela imagem da moça da capa de revista.

E você que está lendo achando que tudo não passa de madeixas, saiba que os cabelos representam muito mais que vaidade, representam nossa essência e nossa origem. Fazem parte de quem somos e de como nos mostramos para o mundo. E o assunto é vasto viu? Podemos ficar horas debatendo como a autoestima da mulher pode ser cortada a fundo por padrões intangíveis de uma sociedade patriarcal e nem um pouco justa. Mas o dia foi longo e já tá acabando, então só vai um pequeno questionamento.

Por que não nos mostramos ao natural? Por que nos prendemos tanto em imagens programadas que ditam nossa visão de vida? Por que não deixar ser? Por que não soltar? Seja liso, cacheado, ondulado, curto, longo, castanho, preto, ruivo, loiro, azul, com franja, com friz, com tudo…seja você! Vamos soltar os cabelos e ser feliz!

Fonte e Imagem do texto: http://oglobo.globo.com/mundo/michelle-obama-aparece-em-foto-com-os-cabelos-ao-natural-21153409