Que cheiro tem o seu café?

O cheiro do meu café estes dias foi de nostalgia.

Estava na casa de um grande amigo, da época da faculdade, a primeira de propaganda e marketing, este mesmo amigo sempre teve um hábito diferente do meu o de tomar café

Talvez pelo fato de ele ser mais velho com “incríveis” cinco anos à mais que eu. O que na época de faculdade era uma boa diferença, já que saímos muitos crus do colegial.

O café dele me lembra não só a amizade em si, mas uma tempo que não voltará, com muitas lembranças boas e ruins. Aquele café coado no coador de pano não mudou quase nada, mas o contexto em que tomamos ele mudou muito, lembro que nossos primeiros cafés; Eles eram para varar a noite jogando World of Warcraft.

Saímos dá fase café para varar a noite adentro jogando e entramos no café dia após a ressaca, contando historias de nossas mais incríveis aventuras em festas universitárias, sempre com ótimas risadas. Teremos também café sobre grandes brigas amorosas aonde um amigo sempre pede apoio para o outro, tivemos cafés das crises financeira aonde o tomar o café se torna forma mais barata de encontrar os amigos.

E assim sempre caminhou nossos cafés, acho que todas amizades ou relacionamentos tem certos rituais, podem mudar os motivos para o qual tomaremos junto o café, mais a amizade é o café serão eternos.

E você qual seu ritual de amizade?

O carro e o malandro

Tenho um carro que durante anos nunca me deu problema e ontem quando estava viajando, começo a perceber que o motor não estava muito bem. O primeiro pensamento de minha imaginativa cabeça foi que, provavelmente havia colocado combustível adulterado, em tempos de crise isto é algo que acontece, já que em nosso país a grande maioria quer sair ganhando em cima do outro.

pexels-photo-66453

Como estava na rodovia resolvi fazer uma pequena verificação no carro em um posto de combustível, assim iria ver o nível de óleo e água, pois isto é o máximo que meu nível de entendimento de mecânica permite.

Para a grande surpresa ao parar o carro, ele simplesmente morreu, sim morreu e não ligava mais.

Então começou minha epopéia, estava olhando para o carro quando apareceu o frentista perguntando se precisava de ajuda, logo após apareceu o Fernandinho, falando que escutou o barulho do motor e disse que era apenas trocar o cabo e que estaria resolvido meu problema. Como achei que o tal Fernandinho era o mecânico do posto deixei fazer uma leve verificação. Então começou minha dor de cabeça, pois havia um cabo de vela estragado, talvez estragado propositalmente. E para minha grande surpresa o frentista pede para o Fernandinho fazer o reparo do carro fora do posto de combustível.

Neste momento caiu minha ficha, percebi que ele não era mecânico do posto e sim alguém que estava se aproveitado da situação do primeiro trouxa, no caso eu, que apareceu com problemas mecânicos naquele posto de combustível.

Ao me ver nesta situação resolvi ligar o modo sobrevivência, liguei novamente os cabos e sai com o carro, para procurar um mecânico na cidade em que estava e o motor estava falhando a cada duzentos metros.

Poucos minutos depois achei um mecânico que constatou que o problema era realmente a vela e o cabo de vela, mas que aquele “corte” no cabo estava estranho.

Após o conserto segui viagem, com uma nova lição aprendida, afinal sempre descobrimos mais uma forma de malandragem. Dica faça manutenção do seu carro para evitar problemas como o meu.

Uma tarde sem internet

Hoje era para ser um dia mais agitado, mas me vejo parado escutando os pássaros, por uma janela que mostra um lindo tom azulado, como se o mundo tivesse parado, consigo ver o vento soprando pelas copas das arvores, nelas existem algumas andorinhas, talvez seja o sinal que primavera está chegando.

captura-de-tela-2016-09-17-as-15-34-23
Meu pensamento agora é o tempo, estas trocas de estações evidenciam que o tempo esta passando, e que contra ele nada podemos fazer.
De repente mudo meu pensamento, e escuto meu cachorro latindo ao fundo, cachorros ficam nervosos por nada, provavelmente seja alguém caminhando pela rua ou uma sombra de formiga que se transformou em um mostro pela parede da casa.

Continue lendo “Uma tarde sem internet”